Essencialmente o que me custa não é o lugar em que fiquei classificada. O que me lixa à séria é simplesmente o facto  de ser um recrutamento público, com critérios de selecção que foram tornados públicos onde pessoas com média inferior ou igual à minha que não cumprem todos os critérios ficaram posicionadas à minha frente simplesmente porque tinham uma grande cunha. E sei que tinham porque mo disseram. E eu já sabia que era assim, não sei porquê me deixei iludir. E volto a dizer que pior que a minha classificação (que não é assim tão má, 34, atendendo ao número de candidatos, pelo menos 100) é saber que esta não significa nada. É este o país que temos e cada vez mais me apetece troca-lo por outro.